Conteúdo não disponível

Desculpe, este conteúdo não está disponível em sua região. Saiba mais sobre o fascinante mundo do Discovery aqui

“Hormônio do amor” explica proximidade entre cães e humanos

Animal Planet
“Hormônio do amor” explica proximidade entre cães e humanos
Animal Planet
“Hormônio do amor” explica proximidade entre cães e humanos
Thinkstock
Seu cachorro obedece a todos os seus comandos? Talvez isso aconteça por causa da oxitocina, um hormônio que fortalece os vínculos entre cães e humanos.

Em uma nova pesquisa, cães que receberam oxitocina tiveram mais facilidade para seguir dicas e encontrar um petisco escondido. 

Os resultados fornecem evidências sobre a evolução dos cães como melhores amigos do homem e podem abrir caminho para a criação de raças que respondam melhor aos comandos humanos, afirma Jessica Oliva, pesquisadora da Universidade Monash. 

A oxitocina é um hormônio conhecido por estreitar o vínculo entre a mãe e o bebê. No cérebro, a substância aumenta a capacidade de entender as emoções e solucionar problemas sociais. 

As novas evidências indicam que a oxitocina também está associada ao vínculo entre humanos e cães. Segundo a pesquisadora, fazer carinho ou conversar com um cachorro durante apenas três minutos aumenta o nível de oxitocina na corrente sanguínea de ambos. Outros estudos já comprovaram que quanto maior a proximidade de um humano com um cachorro, maior a quantidade de oxitocina na urina.

"Isso sugere que a oxiticotina está associada à sensação de proximidade do dono com seu cão", explica Oliva. No entanto, o nível de oxitocina no sangue não indica necessariamente o que está acontecendo no cérebro, afirma.

Ao longo da evolução, os cães se tornaram sensíveis à oxitocina, dizem pesquisadores.

Em seu estudo, Oliva e seus colegas analisaram o impacto da oxitocina na capacidade dos cães de seguir comandos humanos para escolher entre duas tigelas, uma com um petisco e outra vazia. Durante o experimento, 31 machos e 31 fêmeas foram testados duas vezes depois de receber oxitocina e um placebo salino, recebendo pontuações de zero a dez por seu desempenho. 

Um detalhe importante: a oxitocina foi administrada nos animais por meio de um spray nasal para acelerar a absorção no cérebro. 

Os resultados, publicados na revista Animal Cognition, confirmam que os cães que receberam a oxitocina tiveram um desempenho melhor do que os que tomaram o placebo. Além disso, o efeito se prolongou por 15 dias depois da inoculação da substância. "Isso confirma que a oxitocina está associada à capacidade canina de seguir comandos humanos".

Evolução canina
Hormônio-do-amor_-explica-proximidade-entre-cães-e-humanos2

Crédito: Thinkstock

Segundo Oliva, pesquisas anteriores demonstraram que os cães são melhores que os lobos em reagir a comandos humanos não verbais, como apontar para um alimento. Isso acontece mesmo com lobos altamente socializados e criados por humanos. "Minha hipótese é que, ao longo do processo de domesticação, uma alteração nos cérebro dos cães permitiu que eles compreendessem os comandos sociais humanos".

Para a pesquisadora, a oxitocina permite o relacionamento próximo entre cães e humanos. O próximo passo será conduzir o mesmo experimento com lobos. "Isso traria novas revelações sobre a evolução", afirma.

Oliva destaca que alguns cães que participaram do experimento tiveram um desempenho ainda melhor nas tarefas designadas. "Alguns se saíram bem ocasionalmente, mas outros foram excepcionais".

Atualmente, a pesquisadora analisa se existe alguma alteração no gene receptor da oxitocina nos cães com melhor desempenho. Isso poderia levar à criação seletiva, especialmente de cães-guia, cães militares e farejadores de alfândega.

Comentários Ver mais comentários